Motivado por um projeto de expansão do Grupo Guararapes, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte decidiu buscar apoio de entidades como Fiern, Fecomércio e Sebrae para criar um programa que fornecesse os elementos necessários à ampliação na quantidade de facções têxteis no estado, fazendo surgir uma estrutura capaz de atender à demanda de pedidos das empresas.

 

Surgiu aí o Pró-Sertão, que promete impulsionar a economia do estado, principalmente na região do Seridó, gerando cerca de 20 mil empregos em quatro anos.

 

A reportagem é de Esdras Marchezan e Socorro Alves.

o desafio do Pró-sertão